Aílton

Um chute para entrar na história


 

Ailton dos Santos Ferraz, o meia Aílton, tem sua imagem guardada na memória de todos os gremistas, quando comemorou o gol do título do Campeonato Brasileiro de 1996 batendo no peito para expurgar todos seus fantasmas e extravasar a concretização de mais uma taça para o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

 

Jogador nascido e criado no Rio de Janeiro foi revelado pelo Flamengo onde se sagrou campeão brasileiro em 1987 e da Copa do Brasil em 1990, além de faturar os estaduais de 1986 e 1991. Passou pelo futebol japonês e retornou ao país para ser campeão carioca pelo Fluminense junto com Renato Portaluppi em 1995. Ainda conquistaria o campeonato estadual no Rio novamente, defendendo o Botafogo em 1997.

 

Na temporada de 1996, o Tricolor garantiu o Estadual e saiu das disputas da Libertadores e Copa do Brasil, então todas as energias foram depositadas na conquista do Brasileirão. Aílton foi importante, pois o meio-campo Emerson se contundiu e ele assumiu lugar no time de Felipão. Dentro da campanha no Nacional, se destacou na vitória por 2 a 0 sobre o Guarani, fora de casa, quando anotou os dois gols da vitória. Porem, Aílton voltou para a reserva, mas era o chamado constantemente para entrar no decorrer das partidas.

 

Não foi diferente na decisão contra a Portuguesa, no dia 15 de dezembro. No calor da partida, aos 30 do segundo tempo, o volante Dinho pediu para ser substituído pelo meia, pois o Grêmio precisava de mais um gol para levantar o caneco. Aílton entrou e, aos 39, acertou o chute da glória, da afirmação, do título, pegando sobra da defesa após um balão na área lançado por

 

Carlos Miguel que o centroavante Zé Afonso disputou com a zaga lusitana, para anotar o gol. Delírio da nação Tricolor no Olímpico, Grêmio campeão!

 

Aílton pendurou as chuteiras em 2002 e iniciou carreira como técnico no Rio de Janeiro cinco anos depois. Atualmente é auxiliar técnico de Jorginho no Flamengo.