Jardel

O Super Mário



 

Um dos grandes artilheiros que vestiram a camisa Tricolor, Mário Jardel Almeida Ribeiro, ou simplesmente Jardel, se notabilizou por balançar as redes dos adversários e ser um dos destaques da conquista da Copa Libertadores de 1995, quando foi o goleador com 12 gols anotados.


 

Jardel vestiu o manto gremista em 84 jogos, anotando 65 gols, em apenas uma temporada. A forma avassaladora como empilhava gols e seu forte carisma, logo garantiram ao centroavante um lugar especial na memória dos torcedores.


 

Finalizador nato, Jardel teve como garçom na maioria de seus tentos o atacante Paulo Nunes. Nas bolas aéreas, aproveitando os cruzamentos precisos de Arce e Roger, era letal, conhecido como o artilheiro dos gols de cabeça. Também anotou muitos gols com os pés, mas sua qualidade técnica razoável era superada pelo faro de gol refinado.


 

Jardel resume seu sentimento pelo Grêmio. “Eu devo muita coisa ao Grêmio, por tudo que conquistei. Eu me entreguei ao máximo e trabalhei para construir minha história no Grêmio. Tenho a felicidade de ser lembrado como ídolo, sendo parado para dar autógrafos e fotos. Quando entro no Olímpico, lembro-me de tudo que passei e isso me arrepia”, frisou.


 

Após rodar o mundo atuando por mais de 10 países, vestir a camisa da Seleção Brasileira em 10 oportunidades e defender as cores de mais de 20 clubes, Jardel acumula os prêmios de Chuteira de Ouro como o maior artilheiro da Europa nos anos de 1999 e 2002. Pela Copa dos Campeões da Europa foi artilheiro em 1999 e 2000, além de ser o segundo maior artilheiro brasileiro nesta competição, com 29 gols anotados.


 

Atualmente Jardel segue em contato com o Grêmio participando de eventos diversos. O ex-centroavante concluiu o curso de técnico de futebol e está buscando oportunidade para seguir perto de sua maior paixão, o futebol.