Jogo 11: Ceará 3 x 4 Grêmio

Empolgado pela grande vitória sobre o Santo André, o Tricolor viajou para Fortaleza com o objetivo de trazer de lá um resultado positivo contra o Ceará para manter-se entre os oito primeiros.

Os donos da casa saíram na frente mas Marcelo Oliveira conseguiu o empate com um chute impressionante da intermediária. Mas a alegria gremista durou apenas um minuto: no lance seguinte, Domingos acabou marcando contra para os donos da casa. 

No início da segunda etapa, o Ceará ampliou para 3 a 1 trazendo de volta à memória a derrota vexatória contra o Anapolina. Já que o ataque não estava conseguindo resolver, o Tricolor acabou contando com a sorte e com a falta de habilidade dos defensores adversários: aos 17 minutos, Fábio Bala fez jogada pela direita e cruzou. Ao tentar desviar, Sandro acabou marcando contra, diminuindo a vantagem do seu time para um gol. 

O desconto motivou o time gremista que sentiu a fragilidade do adversário e partiu pra cima em busca do empate. Aos 35, Marcel fez jogada individual e foi derrubado dentro da área. Patrício cobrou a penalidade máxima colocando a igualdade no marcador.

O resultado já era considerado bastante positivo mas o Grêmio conseguiu aquilo que parecia impossível: uma virada heróica e histórica já nos descontos. O gol saiu outra vez dos pés de Marcel, em cruzamento pela esquerda. O defensor Victor Boleta acabou marcando outro gol contra: Grêmio 4 a 3. Pela primeira vez na competição, o Tricolor conseguia duas vitórias consecutivas.

Ceará: Adílson; Jamur, André Turato, Váldson e Victor Boleta; Sandro, Germano, Flávio (Vanderlei) e Maurílio; Camanducaia e Capitão (André Santos, depois Barata). Técnico: Jair Pereira.

Grêmio: Galatto; Patrício, Domingos, Marcelo Oliveira e Escalona; Nunes, Sandro Goiano, Bruno e Luiz Fernando (Marcel); Marco Aurélio (Fábio Bala) e Osmar (Tiago Duarte). Técnico: Mano Menezes.


Jogo 12: Grêmio 1 x 2 Vitória

Empolgada pelas duas vitórias consecutivas e a entrada do time na zona dos oito primeiros classificados, a torcida gremista respondeu à altura e lotou o Olímpico no jogo chamado de “Operação Vitória” contra o rubro-negro baiano. Foi a primeira grande demonstração de que a torcida gremista estaria jogando junto com o time durante a competição. 

E foi apenas o espetáculo da torcida nas arquibancadas que valeu a pena na tarde daquele dia 10 de julho. Dentro de campo, o time decepcionou e acabou derrotado por 2 a 1, depois de sair ganhando com gol de Marcel. Alecsandro e Leandro Domingues marcaram os gols do Vitória.

Grêmio: Galatto; Patrício, Domingos, Marcelo Oliveira e Escalona (Gláuber); Nunes, Sandro Goiano, Bruno e Marcel; Fábio Bala (Samuel) e Pedro Júnior (Marco Aurélio). Técnico: Mano Menezes.

Vitória: Felipe; Marcelo Heleno, Claudiomiro e Jardel; Edílson, Jairo, Xavier, Magnum (Mateus) e Fininho; Eanes (Leandro Domingues) e Alecsandro. Técnico: Renê Simões


Jogo 13: Sport 0 x 1 Grêmio

Depois da inesperada derrota para o Vitória em casa, o Grêmio viajou até Recife para uma partida contra o Sport, que acabou sendo o divisor de águas para o Clube dentro da competição. Sentindo a necessidade de resultados positivos para retornar à elite do futebol nacional, jogadores e comissão técnica se reuniram e praticamente selaram um pacto para que isto ocorresse.

O resultado foi imediato: no dia 16 de julho, com gol marcado por Raone, o Grêmio venceu o Sport Recife, na Ilha do Retiro, por 1 a 0. O resultado marcou o início de uma série de 12 jogos sem derrota.

Sport: Magrão, Sérgio (Bibi), Sandro, Baggio e Marquinhos; Ramalho, Marcus Vinícius (Gadelha), Cleiton Xavier e Éder (Diego); Adriano Chuva e Rodriguinho. Técnico: Zé Teodoro.

Grêmio: Galatto, Patrício, Pereira, Domingos e Escalona; Pedrinho, Sandro, Raone (Geovânio), Marcel (Gustavo) e Marcelo; Samuel (Pedro Júnior). Técnico: Mano Menezes.


Jogo 14: União Barbarense 1 x 1 Grêmio

Após a bela vitória conquistada fora de casa no jogo contra o Sport, o Grêmio foi a Santa Bárbara do Oeste disposto a consolidar a ascensão à ponta de cima da tabela. Mas o Grêmio entrou em campo excessivamente cauteloso, com três volantes de marcação e nenhum atacante de ofício. O Tricolor acabou conseguindo um empate atuando de forma distinta nos dois tempos de jogo. A 1ª etapa foi desastrosa para o time de Mano Menezes. Além de levar o gol de Gílson Batata aos 31 minutos, o Grêmio teve Anderson expulso aos 45. O Grêmio voltou para o segundo tempo com um volante a menos e um atacante a mais. O empate veio em uma jogada de bola parada quando, aos 19 minutos, Pereira antecipou-se à marcação e, de cabeça, desviou para o gol. Após esta partida, o Tricolor acabou encontrando a melhor forma de atuar.

União Barbarense: Neneca, Fabinho, M. Miguel, Valdir e Diogo Pires (Matão); Bruno Lazaroni (Bocão), Alexandre, Ademir Sopa e Adãozinho; Gílson Batata (Adriano) e Luciano. Técnico: José Carlos Serrão.

Grêmio: Galatto, Patrício, M. Oliveira, Pereira e Raone; Jeovânio (Pedro Júnior), Pedrinho, Sandro Goiano, Marcel (Samuel) e Paulo Ramos (Nunes); Anderson. Técnico: Mano Menezes.

Jogo 15: Grêmio 4 x 0 São Raimundo

Depois de dois jogos difíceis fora de casa de onde o time trouxe quatro pontos, a equipe gremista se reencontrou com a torcida no dia 29 de julho, uma sexta-feira à noite. O adversário, o São Raimundo do Amazonas, não apresentou maiores resistências e o Tricolor venceu por 4 a 0, com gols de Marcelo Costa, Pereira, Domingos e Paulo Ramos.

Grêmio: Galatto; Patrício, Domingos, Pereira e Escalona; Pedrinho, Sandro Goiano, Marcelo Costa, Paulo Ramos (Beausejour) e Marcel (P. Júnior); Samuel (T. Duarte). Técnico: Mano Menezes.

São Raimundo: Flávio; Guará, Rogério, Dejair e Tita (Luíca); Doriva, Ismael, Marcelo Pezão e Reginaldo; Alexandre Gaúcho e Delmo. Técnico: Luiz Carlos Winck.