Supercampeão do Brasil 1990

Final

 

Em 1989, a CBF criou a Copa do Brasil para ser disputada entre os Campeões Estaduais e os vices dos Estados de melhor arrecadação.

De certa forma, este torneio veio contentar as federações estaduais que não tiveram representantes no Campeonato Brasileiro da 1º divisão. No entanto, para dar importância a essa competição, a entidade maior do futebol nacional conferiu ao campeão da Copa do Brasil uma vaga à Libertadores.

Com dois Campeões Nacionais no mesmo ano, uma idéia ocorreu na mente dos dirigentes da CBF: o cruzamento entre estes vencedores valendo o título de Supercampeão Brasileiro, seguindo o exemplo de alguns países europeus como a Itália, em que o Campeão Italiano enfrenta o Campeão da Copa da Itália, no início de cada temporada, pela Supercopa da Itália.

 

O Supercampeonato Brasileiro foi criado em 1990 com o Campeão Brasileiro de 1989 (Vasco da Gama) e o Campeão da Copa do Brasil de 1989 (Grêmio).

Por falta de datas, decidiu-se em comum acordo entre os clubes e CBF que os jogos de ambos pela 1º fase da Libertadores 1990 valeria pela disputa do título do Supercampeonato do Brasil.

Assim em 14/03/1990, no estádio Olímpico Monumental, o tricolor saiu em vantagem frente a equipe carioca com uma vitória de 2 a 0, com gols de Nilson e Darci, precisando agora apenas de um empate no jogo de volta no estádio São Januário.

E foi com um empate em 0 a 0 que o Grêmio sagrou-se Supercampeão do Brasil no dia 18/04/1990.

Todavia, o troféu do título até hoje não foi entregue pela CBF ao Grêmio.

 

Em 1991, foi disputada em janeiro, na cidade de São Paulo, a segunda e última edição desta competição entre o Corinthians e o Flamengo com vitória do primeiro.

 

FICHA DO JOGO > VASCO x GRÊMIO

Local: Est. São Januário - Rio de Janeiro/RJ

Data: 18/04/1990

ÁRBITRO: Ilton José da Costa

ASSISTENTES: Ulisses Tavares da Silva e Wilson dos Santos

 

SUBSTITUIÇÕES - GRÊMIO

Entrou João Antônio, saiu Jandir.

Entrou Nando, saiu Darci.

 

SUBSTITUIÇÕES - VASCO

Entrou William, saiu Andrade.

Entrou Tato, saiu Bismarck.

GRÊMIO (0) VASCO (0)
MAZARÓPI ACÁCIO
ALFINETE LUIZ CARLOS WINCK
LUIZ EDUARDO CÉLIO
VILSON ZÉ DO CARMO
HÉLCIO MAZINHO
JANDIR ANDRADE
LINO BOIADEIRO
CUCA TITA
DARCI BISMARCK
NILSON BEBETO
PAULO EGÍDIO SORATO
Técnico: Evaristo de Macedo Técnico: Alcir Portela

 

DIRETORIA

Presidente: Paulo Odone Araujo Ribeiro

Vice de futebol: Rafael Bandeira dos Santos

Diretor: Tulio Macedo

Supervisor: Antônio Carlos Verardi

Preparador Físico: Ithon Fritzen

Médico: Dirceu Colla