Trabalho contínuo

Atletas recebem acompanhamento remoto intenso dos profissionais nas categorias de base

Trabalhos valorizam a manutenção da saúde clínica e mental dos jovens

09 JUL 2020 14:40 | Atualizado em 09 JUL 2020 15:10 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

O período de afastamento dos atletas das categorias de base aconteceu efetivamente pela não presença deles no Centro de Formação e Treinamento Presidente Hélio Dourado, em Eldorado do Sul. Até porque o acompanhamento dos profissionais responsáveis pela formação no Clube foi intensa, ainda que de forma remota, para estreitar o relacionamento e contato. O núcleo psicossocial e a parte médica monitoraram o andamento da saúde clínica e mental dos garotos com especial atenção e de forma ainda mais intensa a partir do mês de junho.

Neste período, o núcleo psicossocial fez atendimentos individualizados e também de forma coletiva por vídeo de cada atleta. Uma cartilha com recomendações para o período de isolamento provocado pela COVID-19 foi elaborada, assim como um formulário on-line com detalhes a serem preenchidos para auxiliar na identificação de possíveis dificuldades proporcionadas pelo estágio de confinamento.

A psicóloga da base Fernada Faggiani atendeu os jogadores. "Ao receber o formulário, contendo informações sobre a qualidade do sono, sintomas depressivos e de ansiedade, assim como o engajamento em atividades diversas (atividade física, estudo, lazer, etc), as demandas eram analisadas e o contato direto com o atleta era feito. Ao longo das quatro semanas de julho tivemos um expressivo número de atletas respondentes e uma boa aceitação ao contato direto através de vídeo chamada ou ligações. Foi possível notar que com o passar das semanas o discurso com sofrimento emocional apresentado por parte dos atletas começou a diminuir o que podemos inferir que, ao se sentirem acolhidos e ouvidos, passaram a organizar-se melhor emocionalmente", disse.

A saudade dos amigos e colegas de profissão acabou sendo amenizado no período, ao mesmo tempo em que a familiaridade dos jovens com as ferramentas de tecnologia deixou o contato mais natural. "Entendo que nosso trabalho neste período de tantas incertezas pode proporcionar ao atleta o sentimento de pertencimento à nossa instituição, de identificação com o clube, pois o acolhimento às diferentes demandas apresentadas por eles e seus familiares proporcionou esperança e perseverança para continuar enfrentando o isolamento. Por serem jovens e nativos digitais o fato de usar a tecnologia para essa aproximação ajuda muito e permite que eles se expressem melhor sobre as suas angústias. Através do pedido de grande parte dos atletas foi realizado um encontro virtual coletivo, dividido por cada categoria. Nestes encontros, foi possível observar a sua alegria em fazerem parte de um grupo mesmo que à distância, mas um grupo muito próximo em sonhos e em identificação com o futebol", concluiu Fernanda.

Paralelo a esse trabalho, a área médica teve todo o cuidado em passar as orientações necessárias para o máximo cuidado sanitário em meio à pandemia provocada pelo Coronavírus. Questionários eram enviados para que os jogadores indicassem em caso de algum sintoma ser identificado, para que o tratamento correto fosse logo indicado nessa triagem. "O Departamento Médico com toda sua estrutura se concentrou em duas frentes, dar suporte para todas as dúvidas e tratamento para qualquer necessidade que o atleta e funcionários pudessem precisar. Com isso, mesmo estando longe, os atletas podiam se sentir amparados não só por nós, mas como pelo clube de maneira geral", frisou o coordenador médico das categorias de base, Dr. Ivan Arruda.

Durante o período, três atletas passaram por procedimento cirúrgico, caso dos atletas Matheus Santos e Wesley Lima (Sub-20), e Marcus Wambaster (Sub-14). O trabalho em conjunto determinou o êxito nas intervenções. "Eles estavam com suas cirurgias agendadas quando houve o inicio da pandemia. Esse foi um momento muito debatido com todo o departamento médico e junto as outras coordenações. Se ao mesmo tempo houve suspensão de todas as cirurgias eletivas em Porto Alegre, sabíamos que nunca colocaríamos em risco a saúde de nenhum atleta ou colaborador do clube. Com isso os atletas tiveram a sua autorização para estarem junto as suas famílias, mas tendo um acompanhamento muito próximo do departamento. Quando houve um retorno mais seguro para a integridade dos atletas, optamos por trazê-los novamente com a realização dos procedimentos. Após isso, eles permanecem realizando seu acompanhamento com a fisioterapia seguindo normas rígidas dos protocolos sanitários", finalizou.

Neste sentido, a recuperação dos atletas seguiu sendo orientada com o trabalho do fisioterapeuta Jorge Giongo. Não só aos jogadores que haviam feito cirurgia, mas para com todos os atletas da base gremista. "Após um primeiro contato remoto, realizamos as atividades propostas para cada atleta em sua condição, pois todos eles receberam recomendações antes da paralisação sobre as atividades que poderiam realizar. Conseguimos montar um grupo via chamada de vídeo, onde explicávamos a atividade da semana e cada um recebia seu trabalho de forma individual. Alguns atletas que tinham dúvidas específicas, entrávamos em contato individualmente para esclarecimentos e auxílio contínuo" disse.

O mês de julho deverá seguir com o mesmo tipo de abordagem de forma ainda mais intensa, já começando a prever uma retomada dos trabalhos de forma presencial futuramente. As comissões técnicas voltaram a passar as diretrizes técnicas e táticas no início do mês, além das orientações para os treinos físicos. Esse formato dos trabalhos em Eldorado do Sul tem a possibilidade de implementação no mês de agosto.

Foto: Divulgação Grêmio.